Conheça os pesquisadores contemplados com o Prêmio Fundação Bunge 2024

Conheça os pesquisadores contemplados com o Prêmio Fundação Bunge 2024

Conheça os pesquisadores contemplados com o Prêmio Fundação Bunge 2024

Inspirado no Nobel, premiação vai agraciar cientistas com trabalhos relevantes em conectividade e rastreabilidade na área de Ciências Agrárias e Aplicadas

Os pesquisadores brasileiros que receberão o Prêmio Fundação Bunge, um dos mais importantes reconhecimentos de mérito científico do país, já foram definidos. Durval Dourado Neto, Professor Titular da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) será agraciado na categoria Vida e Obra no tema “Desenvolvimento e uso de tecnologias e conectividade acessíveis para a sustentabilidade no campo”. A Pesquisadora Larissa Pereira Ribeiro Teodoro, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, será agraciada na categoria Juventude, com pesquisadores de até 35 anos.

No tema “Rastreabilidade na produção de alimentos: segurança alimentar, capacitação e redução de assimetrias regionais”, Elisabete Aparecida de Nadai Fernandes, Professora da Universidade de São Paulo, responsável pelo Laboratório de Radioisótopos do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA/USP), será agraciada na categoria Vida e Obra. Hiago Henrique Rocha Zanetoni, Professor da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), receberá o prêmio na categoria Juventude.

A cerimônia de entrega do Prêmio Fundação Bunge será realizada em setembro, na capital paulista. Os dois cientistas agraciados na categoria Vida e Obra receberão o prêmio no valor bruto de R$ 200 mil. Já os dois premiados na categoria Juventude receberão R$ 80 mil.

“Estamos muito felizes em mais uma vez reconhecer o trabalho fundamental realizado pelos cientistas brasileiros. O Prêmio Fundação Bunge foi criado em 1955, tendo o Nobel como inspiração. Ao longo desses anos, já reconhecemos mais de 200 personalidades brasileiras. Esperamos que o prêmio jogue luz sobre a importância da ciência nacional e a necessidade de investimentos constantes nessa área. Só teremos um país desenvolvido e mais pujante e sustentável se incentivarmos a ciência, a pesquisa e a inovação”, afirma Cláudia Buzzette Calais, diretora-executiva da Fundação Bunge.

Entenda como funciona o Prêmio Fundação Bunge

O Prêmio Fundação Bunge tem como premissa que as indicações dos nomes dos cientistas sejam feitas por representantes das principais universidades e entidades científicas do país. Os currículos recebidos são avaliados por comissões técnicas independentes formadas por especialistas.

Mais de 200 personalidades brasileiras já foram agraciadas com o Prêmio Fundação Bunge. Entre eles estão Mariangela Hungria, Adalberto Luis Val, Silvio Crestana, Erico Veríssimo, Hilda Hilst, Jorge Amado, Lygia Fagundes Telles, Manuel Bandeira, Rachel de Queiroz, Oscar Niemeyer, Carlos Chagas Filho, Gilberto Freyre, Paulo Freire, Celso Lafer e Fernando Abrucio.

Para saber mais acesse o site da Fundação Bunge.

Conheça cada um dos contemplados

Tema: Desenvolvimento e uso de tecnologias e conectividade acessíveis para a sustentabilidade no campo

Categoria Vida e Obra: Durval Dourado Neto

Bacharel (Engenheiro Agrônomo) em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa (UFV, 1981-1984). Mestre em Agronomia (Irrigação e Drenagem) [Esalq] pela Universidade de São Paulo (USP, 8/1986-2/1989). Especialista em Física do Solo pelo International Centre for Theoretical Physics (ICTP) [Trieste, Itália] (1989). Doutor em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) [Esalq] pela Universidade de São Paulo (3/1989-10/1992). Pós-Doutor em física do solo e modelagem em agricultura junto à Universidade da Califórnia (9/1993-9/1995) (Fapesp). Engenheiro I pela Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf, 1985-1989). Professor Auxiliar de Ensino (1989-1992), Professor Doutor (1992-2000), Livre-Docente (1999) em Fitotecnia, Professor Associado (2000-2006) e Professor Titular (desde 2006) junto ao Departamento de Produção Vegetal [Esalq] da Universidade de São Paulo. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia (1998-2002, 2008-2010 e 2014-2017). Chefe do Departamento de Produção Vegetal (2002-2006 e 2008-2012). Vice-Diretor da Esalq (Quadriênio 2015-2018). Diretor da Esalq (Quadriênio 2019-2023), Universidade de São Paulo. Vice-Presidente da Comissão de Pós-Graduação do Programa Integrado em Bioenergia (2021-2023). Coordenador do STAC (2023-2025). Atualmente é Pesquisador Científico do CNPq (1A) e Professor Colaborador da Fundação Getulio Vargas (2008-2022). Tem experiência nacional e internacional na área de Agronomia, com ênfase em Modelagem em Agricultura.

Categoria Juventude: Larissa Pereira Ribeiro Teodoro

Engenheira Agrônoma pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Aquidauana (UEMS Pantanal), Mestre e Doutora em Genética e Melhoramento pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Professora Adjunto 1 da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, nos cursos de Agronomia e Engenharia Florestal no Campus de Chapadão do Sul (CPCS), e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Agronomia do CPCS. Bolsista Pq 2 do CNPq. Atua nas áreas de Melhoramento de Grandes Culturas e Biometria, com ênfase em Fenotipagem com uso de sensores multi e hiperespectrais e Técnicas de Inteligência Computacional Aplicadas à Agricultura e Florestas. É coordenadora do Laboratório de Espectroscopia da UFMS/CPCS e líder do grupo de pesquisa do CNPq “Melhoramento de Plantas no Cerrado Sul-Mato-Grossense”. Participa de projetos de pesquisa cadastrados na UFMS, UEMS, UFV, Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT/Sinop) e Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente, coordena projetos de pesquisa na UFMS/CPCS utilizando Fenotipagem de Alta Precisão e Machine Learning aplicados ao melhoramento genético de soja e milho.

Tema: Rastreabilidade na produção de alimentos: segurança alimentar, capacitação e redução de assimetrias regionais

Categoria Vida e Obra: Elisabete Aparecida de Nadai Fernandes

Graduada em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), Universidade de São Paulo (USP), 1974, Mestre em Ciências (Energia Nuclear na Agricultura) pelo Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA/USP), 1982, doutora em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela ESALQ/USP (1988) e Livre-docente pelo CENA/USP (2006). Professora Associada da Universidade de São Paulo, responsável pelo Laboratório de Radioisótopos do CENA desde 1988, atua em Rastreabilidade e Autenticidade na Agropecuária, Aplicações Industriais de Radioisótopos, Qualidade e Segurança de Alimentos, Metrologia em Química, Biomonitoração e Mineração. Pesquisadora visitante no Sugar Cane Field Laboratory, United States Department of Agriculture, Houma, USA (1982). Expert da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA), Viena, Áustria, em produção e certificação de materiais de referência, ensaios de proficiência e garantia da qualidade analítica (1996 a 2005). Participou do Grupo de Trabalho para Planejamento Estratégico do Plano Nacional de Metrologia (PNM), em 1998. Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Metrologia (SBM), 2002-2003, recebeu o prêmio Excelência em Metrologia 2002. Presidente e organizadora da 8th International Conference on Nuclear Analytical Methods in the Life Sciences (NAMLS8), Rio de Janeiro, 2005. É membro da American Nuclear Society (ANS), USA, desde 1996, tendo participado do Honors and Awards Committee (2002-2005) e Vice-Chair e Chair da Biology and Medicine Division (2007-2009). Membro do International Committee on Methods and Applications of Radioanalytical Chemistry (MARC), desde 1997. Membro do Inorganic Analytical Working Group (IAWG), Consultative Committee for Amount of Substance Metrology in Chemistry and Biology (CCQM), Bureau International des Poids et Mesures (BIPM), desde 2001. Membro do International Committee on Nuclear Analytical Methods in the Life Sciences (NAMLS), desde 2002. Membro do International Committee on Radiochemical Conference (RadChem), desde 2003. Membro do International Committee on Activation Analysis (ICAA), desde 2004. Membro da Comissão de Pós-Graduação do CENA, desde 2012. Membro da Comissão de Pesquisa e Inovação do CENA, desde 2013. Membro titular do Conselho Deliberativo do CENA, 2009-2011 e 2019-2026. Membro da Comissão de Inclusão e Pertencimento do CENA, desde 2023. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências (Energia Nuclear na Agricultura) e Presidente da Comissão de Pós-Graduação do CENA, 2011-2017 e 2024-2026. Coordenadora do The Brazilian Satellite Center of Trace Element Institute for UNESCO, CENA/USP, estabelecido pela UNESCO em 2004, Alemanha. Coordenadora do Centro Colaborador em Defesa Agropecuária CRM-Agro Materiais de Referência para Agricultura, Pecuária e Toxicologia, desde 2009. Coordenadora do Núcleo de Inovação Tecnológica Metrologia e Qualidade na Agropecuária CENA, desde 2014. Coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Tecnologia e Inovação para Sustentabilidade da Agricultura, CENA, desde 2014. Coordenadora da Central Multiusuário Metrologia e Qualidade na Agropecuária, CENA, desde 2019. Coordenadora do Projeto Temático FAPESP Transparência nas cadeias produtivas brasileiras de commodities agrícolas de exportação: Estudo holístico de marcadores elementares e isotópicos (2023-2028). Coordenadora de subprojeto no INCT Metrologia Forense e Rastreabilidade na Qualidade Agroambiental MRFor, desde 2022. Primeiro lugar na 2nd Food Chemistry Conference, Sevilha, Espanha, 2019, com o trabalho “Trace elements and machine learning for Brazilian beef traceability”. Em 2023, foi incluída na Lista Forbes das 100 Mulheres Doutoras do Agro, entre as que mais se destacaram na contribuição para o avanço da produção de alimentos, fibras e bioenergia no país. Agraciada, em 2024, com o Hevesy Medal Award, principal prêmio internacional de excelência em química nuclear e radioanalítica, Budapeste, Hungria.

Categoria Juventude: Hiago Henrique Rocha Zanetoni

Engenheiro Agrícola e Ambiental pela Universidade Federal do Mato Grosso (2015). Mestre em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (2019) e doutor em Engenharia Agrícola pela mesma instituição (2023). Atualmente, é Professor Adjunto do curso de Engenharia Agrícola e Ambiental na Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), ministrando as disciplinas do núcleo de máquinas e implementos agrícolas. A vontade de integrar tecnologias emergentes ao agronegócio é eminente e necessária, com isso, compreender o funcionamento de tais tecnologias é inevitável para conseguir enxergar um potencial de aplicação para além daquilo que a tecnologia foi concebida. Desde 2020, como estudante de doutorado o pesquisador dedicou-se a entender e utilizar da tecnologia blockchain na rastreabilidade de cadeias de produção agroalimentares, e desta forma, a possibilidade de retornar respostas aos consumidores e aos produtores.

A Fundação Bunge

A Fundação Bunge, entidade social da Bunge no Brasil, há quase 70 anos atua para gerar impactos positivos na sociedade em territórios e setores estratégicos para a Bunge, fomentando a diversidade com promoção dos direitos humanos por meio da inclusão produtiva e do estímulo à economia de baixo carbono, estimulando a ciência e a preservação da memória. A Fundação é o pilar social da Bunge, líder mundial no processamento de sementes oleaginosas e na produção e fornecimento de óleos e gorduras vegetais especiais, que tem como propósito conectar agricultores a consumidores para fornecer alimentos, nutrição animal e combustíveis essenciais para o mundo. Valorizamos nossas parcerias com os agricultores para melhorar a produtividade e a eficiência ambiental da agricultura em nossas cadeias de valor e para levar produtos de qualidade de onde eles crescem para onde são consumidos. Ao mesmo tempo, colaboramos com nossos clientes para pensar e criar o futuro dos alimentos, desenvolvendo soluções personalizadas e inovadoras para atender às necessidades e tendências alimentares em evolução em todas as partes do mundo.

Assessoria de Imprensa – Fundação Bunge

Deixe seu comentario

Ultimas Noticias

Videoconferência referente as Principais Mudanças da Nova Lei de Licitações nº14.133/21 e os Impactos nas Contratações Públicas. DATA: 22,23, 24 e 25 de Julho
Categorias

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se para receber novidades em seu Email, fique tranquilo que não enviamos spam!

Deixe seu Email para acompanhar as novidades 

Solicitar maiores informações

Preencha as informações abaixo e entre em contato com o anúnciante!