Tel:11 - 4604-8046 | E-Mail: atendimento@eaemaq.com.br

Agrícola A IMPORTÂNCIA DA INOVAÇÃO NO AGRONEGÓCIO

A IMPORTÂNCIA DA INOVAÇÃO NO AGRONEGÓCIO

-

- Advertisement -
- Advertisement -

*Por Rafael Dal Molin

Para os empreendedores que não têm medo de arriscar, o ano de 2020 deixou em evidência o quanto os desafios podem se tornar oportunidades de negócios disruptivos. No agronegócio, a pandemia acelerou a Revolução 4.0, com a aderência cada vez maior de tecnologias dentro e fora do campo. Para se ter uma ideia, em janeiro existiam 322 AgTechs no país. Em setembro, o número saltou para 338, de acordo com a StartupBase, base de dados do ecossistema de startups, elaborado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups).

As soluções propostas para o setor vão desde ferramentas de rastreabilidade da produção à fintechs especializadas em créditos para produtores e é difícil falar quais iniciativas são mais inovadoras. Porém, vejo que engenharias voltadas para a gestão das propriedades têm sido indispensáveis para quem quer organizar o empreendimento e transformar informações em conhecimentos seguros. Softwares e sistemas como ERP dão clareza sobre os processos e recursos de uma empresa e disponibilizam dados de controladoria de todos os departamentos.

Se por um lado as tecnologias têm ajudado os agricultores e pecuaristas a mitigarem falhas e descuidos, uma vez que permitem que eles controlem o processo produtivo à distância e em tempo real e tomem decisões mais assertivas, principalmente em momentos de crise, por outro, é necessário que os empreendedores estejam atentos às tendências e entendam as dores de cada cliente, para que possam desenvolver soluções personalizadas. A regra é clara: mais do que ter vontade de inovar, é preciso que a inovação faça sentido.

Chamo a atenção, também, para as entidades setoriais, que devem participar da produção tecnológica do país por meio em investimentos em P&D para fomentar ambientes voltados para a inovação. Hubs do ecossistema conectam produtores, startups, universidades e investidores, sendo o principal elo de aliança entre quem tem uma propriedade e quem oferece soluções em diferentes estágios de maturação. O consumidor final está cada vez mais solicitando transparência nos métodos de produção e comercialização e temos que atender essa demanda.

Apesar de reduzirem o trabalho humano, aumentarem a eficiência das empresas e otimizarem as produções, a transformação digital no agronegócio ainda encontra algumas barreiras, principalmente quando analisamos a questão da conectividade. Segundo informações divulgadas no Summit Agronegócio Brasil 2019, maior e mais importante evento do setor, cerca de 50 milhões de hectares na área rural ainda não tem acesso à internet, o que dificulta a coleta, a transmissão e o processamento de dados, além do desenvolvimento de soluções.

Junto a isso, destaco a predominância da agricultura tradicional no país, onde a adoção de ferramentas ainda é bastante obsoleta. A meu ver, é fundamental que ao mesmo tempo que as tecnologias e a internet avançam, os produtores enxerguem as vantagens e os benefícios que a agricultura digital pode trazer para o seu trabalho. Nesse quesito, temos consciência de que mudar a maturidade de quem vive no campo é algo que ainda levará anos para acontecer, uma vez que não é fácil rever modelos de negócios e fazer modificações na rotina.

O coronavírus trouxe uma série de dores e perdas para todos nós, mas nos presenteou com ensinamentos e lições importantes, bem como reforçou o poder de uma gestão profissionalizada. Dentre tantas incertezas que temos daqui para frente, garanto: no “novo normal”, o agronegócio brasileiro vai continuar como protagonista no cenário mundial e a tecnologia é a palavra-chave para o sucesso. Surfar na crista da onda dentro de um setor de grande importância no empreendedorismo me parece meio caminho andando para a vitória, não acha?

*Rafael Dal Molin é mestre em Computação Aplicada e Ciência da Computação na Universidade de Passo Fundo e é Diretor da Elevor – startup gaúcha que desenvolve softwares de gestão empresarial para os segmentos do agronegócio, atacado, distribuição, varejo e serviços.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas noticias

FPT INDUSTRIAL EQUIPA O TRATOR SUSTENTÁVEL DO ANO 2021 NA EUROPA

CLAAS Axion 960 CEMOS conta com o design compacto, excelente resposta, baixo consumo de combustível, robustez e confiabilidade do...

Sotreq Seminovos amplia ofertas de compra e venda com novos canais digitais

Conheça o novo portal exclusivo e os canais nas redes sociais criados especialmente para os clientes deste segmento do...

Secretaria de Agricultura e Abastecimento de SP dá dicas de como montar um jardim sensorial

Espaço proporciona contato com a natureza e estímulo da visão, tato, olfato, paladar e audição. A Secretaria de Agricultura e...

VWFS Brasil viabiliza R$ 100 milhões em operação para transporte de gás natural de forma sustentável

Na primeira transação do ano, empresa facilita financiamento para transporte de gás natural, em Roraima, atuando nas duas pontas...
Anterior
Próximo

A fauna como bioindicador de qualidade ambiental

Monitoramento em áreas restauradas na Zona da Mata Mineira capta presença de diversas espécies de animais e mostra o...

Mais de 500 hectares reflorestados em 2020 pela MRN

O trabalho foi recorde em reflorestamento, envolvendo o plantio de mudas do viveiro florestal da empresa e sementes adquiridas...

Mais Lidas

FPT INDUSTRIAL EQUIPA O TRATOR SUSTENTÁVEL DO ANO 2021 NA EUROPA

CLAAS Axion 960 CEMOS conta com o design compacto,...

Você também pode gostar deRELATED
Recomendamos para você