Motoniveladoras: produtividade, economia e robustez em ambientes severos

Para suprir a crescente demanda por máquinas em áreas estratégicas como construção civil, infraestrutura, entre outras aplicações, grandes fabricantes estão investindo pesado em soluções cada vez mais versáteis e robustas. É o caso da Motoniveladora que atende a diversas funções nos canteiros de obras. A máquina é utilizada para nivelar terrenos em pavimentação de rodovias, por exemplo, fazer a terraplanagem em terrenos irregulares, e usada na função de desagregador de terrenos mais sólidos.

A máquina possui uma lâmina horizontal ajustável, pistões hidráulicos, braços mecânicos e engrenagens. Neste comparativo a EAEMáquinas reuniu algumas das principais fabricantes de Motoniveladoras: John Deere, Komatsu, New Holland, Case, Caterpillar.

John Deere 670G

John Deere 670G

Com o objetivo de aumentar a produtividade e facilitar a execução dos serviços, a motoniveladora 670G da John Deere está preparada para atuar nos ambientes de trabalho mais severos, com alta durabilidade e características que vão aumentar o tempo de atividade do equipamento.

A máquina possui diferenciais como banco de filtros, radiadores basculantes, manutenção ou ajustes simplificados das tiras de desgaste do círculo e da armação da lâmina, monitor de diagnósticos completo, transmissão que oferece mudanças de marcha suaves, bloqueio automático do diferencial de série, entre outros.

As motoniveladoras 670 G têm vantagens que garantem a durabilidade e proporcionam anos de serviços. Os motores diesel PowerTech™ John Deere, com seis cilindros e potência variável, garantem reserva de torque para um melhor deslocamento e maior produtividade.

Uma das novidades são as máquinas com tração nas seis rodas, que permite a operação em encostas íngremes, fazer curvas carregando grandes quantidades de cargas e direcionamento das rodas dianteiras, ao mesmo tempo em que abrem valas, sem patinar, preservando pneus e combustível no processo. Com todo o peso e os seis pneus em operação, o comando hidrostático comprovado, de percurso duplo, aumenta ainda mais a produtividade em todos os tipos de aplicações, oferecendo força de tração da lâmina, além de permitir que, praticamente, tudo seja realizado de forma mais fácil e com menos etapas do que em suas versões mais convencionais.

Para garantir visão completa do trabalho, a cabine proporciona uma superfície ampla, de vidros escurecidos do teto até o chão, um console dianteiro estreito e braços estilizados. O monitor de LCD (a cores e disponível em diversos idiomas) oferece acesso para as mais importantes informações da máquina, incluindo as condições vitais e gerais de operação e códigos de diagnóstico.

O módulo de interruptores selado fornece controle através de botões, com 25 funções da máquina, incluindo a partida sem chave. Quando habilitada, a partida sem chave precisa de uma senha, para ajudar a evitar a operação não autorizada ou acidental da máquina.

O conforto do operador também é levado em consideração pela John Deere, pois isso vai assegurar que esteja mais descansado e produtivo ao longo de sua jornada de trabalho. Um exemplo é o assento, com suspensão pneumática e todos os ajustes necessários para oferecer a ergonomia adequada.

Ao abrir as portas laterais é possível ver as diferentes maneiras como estas motoniveladoras reduzem o tempo de manutenção e ajudam a manter os custos de operação baixos. Os exclusivos radiadores basculáveis e o ventilador articulado garantem acesso total a ambos os lados dos núcleos, para simplificar a limpeza. Pontos de manutenção do mesmo lado e indicadores visuais agilizam o trabalho de verificações diárias de fluidos, assim como os recursos de filtros de troca rápida com um posicionamento único, saídas convenientes de amostra de fluidos e capacidade de diagnósticos avançados.

Outra facilidade é o abastecimento, que pode ser realizado no nível do chão. O tanque de combustível é de plástico, para evitar contaminação e sua ampla capacidade permite que trabalhe mais entre os abastecimentos.

As tiras de desgaste do círculo e da barra de tração são altamente resistentes e de fácil substituição. Em apenas duas horas, é possível retornar o equipamento para a operação com a utilização de ferramentas comuns e minimizando a mão de obra, que pode, inclusive, ser realizada no local. O exclusivo pacote de arrefecimento oferece abertura dos radiadores, facilitando o acesso aos núcleos e à limpeza.

Para proporcionar ainda mais proteção aos componentes da estrutura contra danos causados por deslocamentos em áreas com obstruções, estão disponíveis como opcionais os sistemas de embreagem deslizante do círculo e de absorção de impacto da lâmina.  A lâmina é previamente tensionada, a fim de obter altos níveis de resistência e durabilidade.

Caso ocorra algum problema, o monitor de LCD, de fácil navegação, apresenta as informações de diagnóstico e até mesmo oferece possíveis soluções para reduzir o tempo de máquina parada.

A transmissão EBS (Event-based shifting), oferece uma troca de marcha e mudança de direção suaves, para o controle excepcional e precisão sem esforços adicionais. Conforme o termo sugere, a troca e escalonamento de marchas se dá conforme a condição na qual o equipamento está operando (ex. em uma mudança brusca da alavanca de marchas de 5ª para 2ª marcha, a transmissão irá fazer a troca automaticamente de forma suave, evitando solavancos)

A trava do diferencial, automática e testada em campo, lê o ângulo de direção da máquina, a fim de determinar quando ela está realizando uma curva, para destravar automaticamente o diferencial e proteger o seu equipamento.

A máquina padrão vem equipada com o JDLink™, o que permite acesso às informações do equipamento, em qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Através dele, é possível obter a localização da motoniveladora, como ela está sendo utilizada em tempo real, além de dados sobre o seu estado e o tempo gasto por cada marcha, para auxiliar na produtividade do operador. Outros recursos incluem alertas no painel de instrumentos, informações sobre o consumo de combustível, códigos de diagnóstico e horas de operação.

Cat 12M

Cat 12M

A Caterpillar também produz modelos de motoniveladoras no mercado brasileiro, com destaque para a Cat 12M, que está ganhando espaço com suas 18,4 toneladas de peso operacional e 213 hp de potência com o VHP Plus, feita na fábrica da empresa em Piracicaba, São Paulo.

Entre os diferenciais da máquina estão a boa visibilidade, fator relevante para a segurança e eficiência no trabalho. A cabine, que é mais espaçosa, ainda possui portas anguladas, cobertura do motor cônica e janela traseira inclinada, que facilitam a visualização da lâmina e dos pneus e também da parte traseira da máquina. Uma câmera de visão traseira opcional melhora ainda mais as linhas de visão ao redor de toda a máquina.

Os controles por joystick substituem as alavancas, reduzindo o movimento das mãos e dos braços em 78%, o que ajuda a reduzir a fadiga do operador e a aumentar a produtividade. O assento possui suspensão pneumática da Série Comfort da Cat e é totalmente ajustável. Os suportes de controle podem ser ajustados eletronicamente de maneira que é ainda mais fácil configurar para obter uma posição de operação ideal. Vários suportes reduzem significativamente o ruído e a vibração para proporcionar um ambiente de trabalho mais confortável.

O painel possui medidores de fácil leitura e alta visibilidade e sinais de advertência mantêm o operador ciente das informações do sistema. O Messenger Cat oferece dados de diagnóstico e desempenho da máquina em tempo real para ajudar você a aproveitar ao máximo sua máquina.

A máquina possui dois joysticks eletro-hidráulicos, sendo que o esquerdo controla a direção, a articulação, o retorno para o centro, a inclinação das rodas, a seleção de velocidade, a flutuação e o cilindro de levantamento da lâmina esquerda. O joystick direito controla as funções da tração, do círculo e da lâmina, bem como o controle do acelerador eletrônico e o bloqueio e desbloqueio manual do diferencial. A operação com joysticks reduz em até 78% a movimentação do operador comparada às maquinas com controle por alavancas.

O motor Cat C7 ACERT proporciona o desempenho necessário para manter velocidades de nivelamento consistentes para melhor produtividade. O torque e a capacidade de sobrecarga superiores fornecem a potência para puxar aumentos de carga repentinos e em curto prazo. A Tecnologia ACERT diminui as temperaturas da câmara de combustão e otimiza o consumo de combustível para gerar mais produção por custo de combustível. Os motores ACERT também geram menos emissões.

O ventilador hidráulico ajusta automaticamente a velocidade de acordo com a demanda de arrefecimento do motor. Quando a demanda de arrefecimento é reduzida, é possível aproveitar mais potência para o solo e melhor eficiência de combustível.

A máquina conta ainda com o cronômetro de desligamento em marcha lenta do motor pode ser ativado por software pelo revendedor Cat para desligar o motor após um período de tempo determinado, economizando combustível e ajudando a reduzir emissões.

O sistema completo de Controle de Pressão da Embreagem Eletrônico otimiza a modulação de marcha gradual da máquina para trocas suaves e mudanças de sentido, reduzindo a tensão nas marchas. A opção de Autoshift (Câmbio Automático Programável) simplifica a operação, permitindo que o operador programe a transmissão para fazer a troca em pontos ideais que correspondam à aplicação

A ponta-de-eixo vedada da motoniveladora mantém os rolamentos do eixo frontal lubrificados e protegidos contra contaminantes. O projeto “Live Spindle” da Cat coloca o rolamento de rolos cônico maior para fora, onde a carga é maior, ampliando a vida útil do rolamento. Um eixo traseiro modular aparafusado aumenta a capacidade de manutenção e o controle de contaminação com acesso fácil aos componentes do diferencial.

Já o freio de serviço de discos múltiplos em banho de óleo é atuado hidraulicamente para obter uma frenagem suave e reduzir os custos de operação. Os freios estão localizados em cada roda tandem e têm uma maior superfície de frenagem total, proporcionando potência de frenagem confiável e vida útil prolongada.

A Caterpillar projeta o chassi da motoniveladora e os componentes de tração para fornecer desempenho e durabilidade. O círculo em aço forjado em uma peça única é feito para aguentar altas cargas de esforço, e um sistema de desgaste por esforço ajuda a manter o tempo de serviço e os custos baixos. O engate da articulação contém um rolamento de rolos cônico grande para carregar cargas de maneira uniforme e suave.

A lâmina possui anglo agressivo, curvatura otimizada e ampla folga do pescoço o que possibilita que o trabalho seja feito com mais eficiência, permitindo que o material role mais livremente. Os trilhos com tratamento térmico, as bordas cortantes e cantos endurecidos e os parafusos reforçados proporcionam maior confiabilidade da lâmina e vida útil prolongada. A barra de articulação permite o posicionamento extremo da lâmina para maior facilidade em taludes e em corte e limpeza de valas.

A flutuação da lâmina permite que ela se movimente livremente sob seu próprio peso. Com os dois cilindros flutuando, a lâmina pode seguir os contornos do solo. Com apenas um cilindro flutuando, a ponta da lâmina pode seguir uma superfície dura enquanto o operador controla a inclinação com o outro cilindro de levantamento.

A Série 12M oferece um pacote de tecnologia integrado e opcional de fábrica que maximiza as operações no campo e consiste de quatro itens: oCross-Slope é o sistema de nivelamento automático da lâmina controlado por sensores e que mantém a nivelação constante, com maior precisão da angulação da lâmina, eliminando retrabalhos durante nivelamento. O Joystick Avançado é composto de módulos adicionais que permitem a atuação de funções adicionais, como ríper e lâmina, sem necessidade de soltar o joystick durante operação. A Auto Articulation faz a articulação da máquina automaticamente, reduzindo o raio de giro e reduz movimento do operador durante a operação. O Stable Blade estabiliza a lâmina, identifica saltos excessivos durante nivelamento, reduzindo automaticamente a rotação da máquina, eliminando retrabalhos e maximizando a precisão.

A motoniveladora Cat é referência no mercado de construção e mantém seus produtos em constante inovação para entregar maior produtividade, automação com menor custo operacional para seus clientes; conta com uma linha completa de reposição de peças e revendedores especializados em todo o Brasil.

Case 800 Série B

CASE 800 Série B

Reconhecidas pela alta produtividade e desempenho, as motoniveladoras CASE 800 Série B (modelos 845B, 865B e 885B) são produzidas na fábrica de Contagem, em Minas Gerais, plataforma mundial para produção desses equipamentos.

As motoniveladoras CASE são usadas para auxiliar na melhoria da infraestrutura do meio rural, ajudando a manter em bom estado as estradas vicinais das cidades por onde escoa a produção dos agricultores. Também é muito aplicada em fazendas e usinas, seja na manutenção das suas estradas, abertura de acesso em áreas de cultivo de cana de açúcar, preparação do solo e curvas de nível.

O gerente de Marketing da CASE Construction Equipment para a América Latina, Maurício Moraes, destaca que o modelo 885B é o indicado para as aplicações mais severas. “Isso por conta de se tratar de uma máquina com potência líquida variável de 205/219 hp, peso operacional de 18.050 kg e pode chegar até 19.500 quilos”, diz.

Os três modelos são equipados com motor eletrônico Common Rail, turbo-alimentado de alto desempenho, baixo consumo, baixa emissão de poluentes, grande facilidade de manutenção e certificação Tier 3. O capô basculante, com formas arredondadas, permite maior visibilidade traseira, fácil acesso ao motor e aos componentes de manutenção. Pontos de lubrificação e abastecimento no nível do solo agilizam o processo e diminuem o tempo de máquina parada.

As cabines das motoniveladoras série 800B possuem certificação ROPS/FOPS e novo design com maior área envidraçada, o que permite mais visibilidade em todas as direções, mais espaço e com comandos posicionados de acordo como os princípios ergonômicos oferecendo fácil acesso, comodidade e conforto ao operador.  A janela frontal inferior proporciona maior visibilidade da lâmina, permitindo melhor acabamento e maior controle da superfície trabalhada. 

A nova cabine possui ainda painel central com indicadores de falhas, medidores de temperatura do fluido da transmissão, do sistema hidráulico e do líquido de arrefecimento do motor; medidor do nível do combustível; posição da alavanca da transmissão; marcha engatada, modo auto ou manual, entre outros.

Os três modelos possuem transmissão Power Shift com conversor de torque e com sistema de bloqueio lock-up. O conversor de torque proporciona aumento de torque para os trabalhos pesados, e o lock-up é ideal para trabalhos mais suaves como espalhamento de material. Com lock-up desativado, ela trabalha com o conversor de torque. E, quando ativado, funciona como Direct Drive, com controles eletrônicos de troca de marchas, sendo seis velocidades à frente e três à ré. O conversor de torque é um tipo de acoplamento hidráulico que proporciona um aumento de até 70% no torque e faz dele o instrumento ideal para trabalhos em que é necessária maior força de tração.

A 845B é produzida de série com eixo inteligente antipatinagem Limited Slip, e possui a opção do eixo Diff Lock. Já os modelos 865B e 885B vêm equipados com diferencial com bloqueio eletrohidráulico acionado pelo operador no painel frontal (Diff Lock) ideal para aplicação em terrenos com baixa sustentação.

Quando o lock-up é aplicado, a máquina é perfeita para trabalhos suaves de nivelamento e de espalhamento. Como essas atividades não exigem torque extra, a transmissão Direct Drive aumenta ainda mais a economia de combustível. O lock-up é ativado/desativado automaticamente de acordo com a rotação do motor e o torque de entrada para cada uma das marchas. Seu acionamento acontece sempre que os parâmetros chegam aos valores preestabelecidos no módulo eletrônico da transmissão.

As motoniveladoras série 800B dispõem do sistema Limp-Home, que é um modo operacional de segurança para casos de pane na transmissão. O Limp-Home atua automaticamente e permite ao operador transportar a máquina para um local apropriado onde será realizada a manutenção.

O módulo eletrônico, Transmission Control Unit, gerencia as informações durante o funcionamento da transmissão, garantindo o correto funcionamento do conjunto. Isso proporciona maior produtividade e maior vida útil da máquina. A transmissão possui um sistema de diagnóstico de falhas que detecta, através de código no painel e por meio da conexão de um laptop, qualquer problema desse componente. 

A lâmina central, de alta capacidade de corte, possui um perfil evolvente multirraios (Roll-Away) que permite um corte sem esforço, já que o material é rolado ao invés de empurrado, reduzindo o esforço do equipamento. O resultado é um menor consumo de combustível e maior vida útil dos componentes. O travamento da sela possui cinco posições, dando maior flexibilidade à operação.

O sistema hidráulico é do tipo Load Sensing, que faz com que a vazão hidráulica diminua ou aumente, de acordo com a necessidade do equipamento preservando o motor e reduzindo consumo de combustível. A bomba hidráulica trabalha em stand by, consumindo o mínimo de potência do motor, e no momento que a aplicação exige maior vazão ela é pilotada para abastecer o sistema hidráulico com a vazão requerida, maior ou menor, de acordo com a operação.

Já os freios são auto ajustáveis do tipo multidisco em banho de óleo e possuem dois circuitos, sendo um para cada lado do eixo traseiro.

New Holland RG200.B

New Holland Construction RG200.B

Por conta da qualidade, custo-benefício e fácil manutenção, as Motoniveladoras da New Holland Construction, que fornece máquinas para construção e infraestrutura da CNH Industrial, há mais de 65 anos no País, estão ganhando a preferência do mercado. Entre os destaques da linha está o modelo RG200.B. 

A máquina se destaca pela alta tecnologia e eficiência, com comandos hidráulicos de elevada precisão, articulação do chassi à frente da cabine, lâmina central Roll Away com perfil evolvente e transmissão de controle eletrônico inteligente.

Com design funcional e moderno, a cabine e o capô traseiro têm linhas arredondadas e estilo arrojado que combinam harmonia e solidez, proporcionando fácil acesso às manutenções de rotina. Além disso, para conforto do operador, a máquina oferece assento ajustável com encosto para braço, cabeça e suspensão com regulagem para o peso. O console de direção é totalmente ajustável à posição de trabalho para os operadores. O volante possui manopla auxiliar, opcional, para manuseio com apenas uma mão, enquanto a outra mão se ocupa do implemento. E alavancas de percurso mais curto possibilitam comandar todos os implementos de forma fácil e produtiva.

A cabine é montada sobre o chassi traseiro, o que facilita ao operador executar manobras de marcha à ré, verificar diretamente o quanto o chassi está sendo articulado, inclusive facilitando operações mais complexas como a confecção de taludes. Isso significa segurança total nas operações. 

A cabine fechada é alta e tem 6,76 m² de área envidraçada. Seu design, com todas as faces planas, e o rebaixamento do capô traseiro asseguram maior visibilidade, possibilitando melhor controle visual, tanto dos trabalhos traseiros, com ripper, quanto dos dianteiros, com lâmina ou escarificador.

A direção hidrostática, do tipo orbitrol, é alimentada por bomba engrenagens. O ângulo de esterçamento das rodas dianteiras é de 42° para ambos os lados e a articulação do chassi é de 25º à direita ou esquerda, o que proporciona um raio de giro de 7.250 mm. Esse reduzido raio de giro permite ao operador executar trabalhos em áreas restritas com maior facilidade e realizar operações em curvas sinuosas em menor tempo e uma manopla auxiliar no volante possibilita maior agilidade na realização de manobras.

O sistema hidráulico é do tipo Load and Flow Sensing – sensível à carga, assim, a bomba somente fornece fluxo quando o operador aciona uma das alavancas de controle. Quando não há demanda hidráulica, a bomba consome uma potência mínima do motor e o sistema hidráulico trabalha mais arrefecido, o que reduz o consumo de combustível. Os eixos foram feitos para garantir robustez e maior capacidade de transferência de potência ao solo. A inclinação lateral das rodas, em 15,3º, à direita ou à esquerda, e a oscilação de 20,0° para cada lado permitem o acompanhamento das irregularidades do terreno.

Construída com aço de alta resistência à abrasão, a lâmina central da RG200.B possui perfil envolvente que provoca a rolagem do material, facilita o trabalho e reduz o esforço sobre a máquina, gerando maior produtividade e menor consumo de combustível.

O círculo da lâmina está apoiado sobre guias com insertos de resina fenólica substituíveis, que dispensam lubrificação. Os dentes externos evitam danos ao pinhão de giro em casos de operação com ajuste de folga inadequado, por falhas na manutenção. A lâmina pode executar um giro de 360°, sem restrições, o que garante muito mais alternativas de trabalho.

A motoniveladora ainda oferece opções para facilitar os trabalhos e aumentar a produtividade, como flutuação das lâminas frontal e central, gancho traseiro, cantos de lâmina reforçados, extensão de lâmina, placa de empuxo dianteira, suporte para roda sobressalente, sistema de arrefecimento com hélice bidirecional, além, de outros itens conhecidos no mercado.

Porém, não é apenas em construção civil que o equipamento se destaca. “Temos clientes atuando tanto em atividades tradicionais de construção, serviços de terraplanagem e pavimentação; como agrícolas, na execução de curvas de nível em lavouras de cana-de-açucar”, explica Ésio Dinis, especialista de Marketing de Produto da New Holland Construction. 

A família de motoniveladoras da New Holland Construction é composta pelos modelos RG140.B, RG170.B e RG200.B, que possuem até 160 hp, 205 hp e 219 hp, respectivamente. Os equipamentos se destacam pela alta tecnologia, robustez e eficiência.

As máquinas são ideais para atividades severas de movimentação da terra, quando são exigidas autonomia e força. “Os equipamentos são implementados com motores FPT Industrial 6.7 L, com dupla curva de potência e Intercooler, o que garante um custo reduzido”, explica Dinis.

Essa autonomia da motoniveladora é possível devido à transmissão automática (Powershift), de controle eletrônico. Esse sistema é acoplado ao motor por uma tecnologia de conversor de torque dotado de Lock-Up, que permite o bloqueio do conversor de torque, transformando a transmissão em um sistema Direct Drive, que garante alta produtividade.

Com esse sistema, a motoniveladora tem melhor desempenho em operações que exigem velocidade constante e controle fixo do deslocamento. Além disso, a máquina possui um processador eletrônico ECU (Electronic Control Unit) para gerenciar todas as informações durante o funcionamento da transmissão, promovendo maior precisão na operação.

A New Holland possui uma linha completa, composta por escavadeiras hidráulicas, escavadeiras de rodas, retroescavadeiras, motoniveladoras, tratores de esteiras, pás-carregadeiras, minicarregadeiras, miniescavadeiras e manipuladores telescópicos, que atendem às mais diversas aplicações em obras de infraestrutura, construção civil, mineração, agricultura, entre outros.

Komatsu GD655-5

Komatsu GD655-5 

A motoniveladora Komatsu GD655-5 possui novo sistema de controle de rotação do motor que permite economia de até 22% de consumo de combustível, se comparada ao modelo GD655-3. Isso é possível por conta do controle de rotação do motor VHPC de 2 modos e 3 estágios. O sistema permite a seleção do modo mais apropriado entre as opções P (elevada potência do motor) ou E (potência mais adequada com a melhor relação de consumo de combustível), de acordo com as condições dos trabalhos a serem executados. 

A máquina também utiliza o sistema de injeção eletrônica “com­mon rail” para cargas pesadas, que também resulta em uma resposta mais ágil nas acelerações, aumentando a potência e a resposta hidráulica. Além disso, o motor também é certificado pelas normas PROCONVE/MAR-I de controle de emissão de poluentes. 

A facilidade de manutenção é outra característica da Komatsu, pois as amplas tampas articuladas proporcionam fácil acesso aos pontos de serviço do motor e do radiador. Já os filtros de óleo, rosqueáveis, são de substituição rápida. O ponto de inspeção do óleo do tandem está estrategicamente posicionado na extremidade. 

Além disso, o painel de fusíveis está localizado na cabina e os circuitos e amperagens possuem clara identificação. Os resíduos de poeira presos no radiador e nas aletas de arrefecimento são eliminados com o ventilador de acionamento hidráulico em rotação no sentido inverso. O projeto modular possibilita remover o motor, a transmissão ou os comandos finais de modo independente para serviços rápidos de manutenção. 

Durante as operações, o odômetro/horímetro é exibido no painel monitor. Na ocorrência de qualquer anormalidade ou sobrecarga na máquina, ou mesmo havendo necessidade de inspeção e manutenção, os códigos de ação são exibidos no visor para notificar o operador, orientando-o a tomar as medidas apropriadas. 

Há ainda o interruptor de regulagem de rotação do motor que permite ao operador adequar perfeitamente a condição de trabalho selecionando um dos três modos: Automático, Desligado e Manual. A rotação do motor ajustada pelo interruptor de aceleração é cancelada quando o pedal de freio ou acelerador é acionado no modo automático. 

Já o sistema de monitoramento eletrônico verifica importantes sistemas da máquina e fornece ao operador advertências quando há ocorrência de anormalidades. 

A Komatsu projeta e fabrica freios a discos múltiplos completamente selados e livres de ajustes. Os freios são de acionamento hidráulico e liberados por mola, localizados em cada uma das rodas do tandem para a eliminação das cargas exercidas no trem de força pela frenagem e a agilização da manutenção. Um sistema de freios totalmente hidráulico neutraliza todos os problemas associados a sistemas pneumáticos. A grande superfície de frenagem assegura um desempenho confiável dos freios e sua longa vida útil. 

A máquina também garante ambiente de trabalho confortável, pois o motor e a transmissão são montados sobre coxins de borracha e transmitem menos ruído e vibração ao operador, aumentando ainda a vida útil dos componentes. Uma colméia de alumínio livre de chumbo é usada no radiador para atender às exigências globais de preservação do meio ambiente. 

A visão do operador durante a execução do trabalho é privilegiada na nova cabina hexangular com coluna em forma de Y e outras laterais com ampla abertura traseira. A melhor visibilidade ajuda a aumentar a produtividade em todas as aplicações envolvendo a motoniveladora. 

O posicionamento estratégico da articulação da lâmina desobstrui a visão da lâmina e da área de trabalho à frente. O capo afunilado do motor proporciona boa visibilidade da traseira da máquina, especialmente do riper traseiro. 

A longa distância entre eixos possibilita ao operador uma maior angulação da lâmina, o que permite que o material se mova mais livremente e demande menor potência. 

Os acumuladores de levantamento da lâmina absorvem os impactos gerados quando o equipamento se choca com objetos imóveis. Este recurso é especialmente útil onde são encontrados objetos ocultos com frequência, como no nivelamento de terrenos irregulares e em áreas rochosas. Isso proporciona um controle preciso, ao mesmo tempo que assegura o alívio de cargas de impacto verticais. 

Projetadas e fabricadas pela Komatsu especificamente para as motoniveladoras, as válvulas possuem atuação direta e proporcionam ao operador sensibilidade, além de previsibilidade das respostas do sistema e situações não convencionais que envolvam o controle de implementos. Para ajudar a manter os ajustes exatos da lâmina, os circuitos hidráulicos contam com válvulas de bloqueio. Há ainda a incorporação de válvulas de alívio em circuitos selecionados para que os cilindros não sofram sobrecargas de pressão. 

Os controles dos implementos também foram projetados para reduzir a fadiga do operador. São caracterizados por alavancas de curso curto que exigem pouco esforço do operador para atuá-las em ambas as direções. O espaçamento estrategicamente adotado entre as alavancas de controle e seu curso curto permite ao operador usar os diversos controles com apenas uma das mãos. 

Ficha Técnica Motoniveladoras     
      
MODELOS885B12M670GGD655-5RG200.B
FABRICANTECASECATERPILLARJOHN DEEREKOMATSUNEW HOLLAND
Web http://www.casece.comwww.cat.comwww.deere.com.brhttp:/www.komatsu.com.brwww.newholland.com.br
País  de origemBrasilBrasilEstados UnidosJapãoBRASIL
Motor ModeloCASE FPT 6.7LCat C7 ACERT™ PowerTech™ 6090Komatsu SAA6D107E-1FPT 6.7L 
Motor TipoDiesel, 4 tempos, inj.dir., turbo e Tier 3Diesel, 7.2LDiesel, 9.0L, 6 cilindroa, MAR-I(Tier 3)Tier 3Eletrônico, diesel, 4 tempos, injeção direta, turboalimentado, Certificação Tier 3
Potência Líquida205/219 hp213 HP230 HP218 HP205/219 hp
Torque Máximo864/924 Nm @1.6001052.0 Nm1204 Nm1450 rpm864/924 @ 1.600 rpm
Marchas6 a frente e 3 à ré8 a frente e 6 à ré8 a frente  e 8 à ré8 a frente e 4 à ré6 a frente e 3 à ré 
Capacidade do tanque combustível341 L416 L416,5 L(110 gal.)416 L341 L
Peso operacional c/ lâmina18.050 kg18.400 kg18.529 kg17.915 kg19.430 kg
Força da lâmina contra o solo8.452 kg7.335 kg15.501 Kg8.452 kg
Lâmina -Deslocamento Lateral  686 mm direita –  533 mm esquerda7335 kgblade683 mm(26,9 pol.)820 mm direita – 820 mm esquerda686 mm direita – 533 mm esquerda
Lâmina – Alcance Máxima Lateral 2153 mm direita – 1956 mm esquerda2278 mm direita – 2090 mm esquerda2.083 mm (6 pés 10 pol.)2000 mm direita – 2000 mm esquerda2.153 mm direita – 1.956 mm esquerda
Lâmina – Elevação Máxima acima do Solo444,5 mm452mm490 mm (19,3 pol.)480 mm444 mm
Lâmina – Profundidade Máxima de Corte711,2 mm  715 mm  615 mm711 mm
Escarificador Dianteiro5 dentes + 6 dentes opcionaisTipo V, 5 ou 11 Dentes NÃOParalelogramo, montagem frontal
Escarificador Traseiro8 dentes + 6 opcionaisHidráulico – 5 dentes e 9 escarificadores  SIMParalelogramo , montagem traseira
Dimensões da Lâmina(LxAxE)4.267 x 671  x 22 mm3658 × 610 x 22 mm3660 x 610 x 22 mm(12 pés 0 pol.x 24 pol x 0,88 pol.)3710 x 660 x 19 mm4.267x 671 x 22mm
Dimensões(CxLxA) para Transporte8.534 x 2.654 x 3.400 mm (sem implementos)9818 x 2511 x 3378 mm10590 x 2640 x 3400 mm(34 pés9pol.x 104pol.x 11pés 2pol.)10575 x 2615 x 3200 mm8.534mm x 2.654mm x 3.340mm
CabineROPS / FOPS c/ar condicionadoROPS/FOPS ISO 3471:2008, ISO 3449:2005Cabine perfil baixo com ROPS(ISO 3471-2008) e FOPS(ISSO 3449-2005ROPS/FOPSCabine fechada, alta, ROPS/FOPS

Deixe seu comentario

Ultimas Noticias

Agrobrasília 2024 contará com a participação de dez unidades da Embrapa
Agrobrasília 2024 contará com a participação de dez unidades da Embrapa De 21 a 25 de maio será realizada a edição 2024 da Agrobrasília – a
Categorias

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se para receber novidades em seu Email, fique tranquilo que não enviamos spam!

Deixe seu Email para acompanhar as novidades 

Solicitar maiores informações

Preencha as informações abaixo e entre em contato com o anúnciante!