Emenda parlamentar vai fortalecer pesquisa, inovação e infraestrutura no Matopiba

Emenda parlamentar vai fortalecer pesquisa, inovação e infraestrutura no Matopiba

Emenda parlamentar vai fortalecer pesquisa, inovação e infraestrutura no Matopiba

Nesta última segunda-feira, 13 de maio, durante abertura do AgroBalsas 2024, foi assinada carta de intenções entre a Embrapa e o deputado federal Márcio Honaiser (PDT-MA), que aprovou emenda parlamentar para fortalecer atuação da Empresa no desenvolvimento de pesquisa e inovação para a agropecuária na região de Balsas-MA. A parceria deverá contribuir para a expansão sustentável com inclusão socioprodutiva da agricultura e pecuária na região do Matopiba maranhense para pequenos, médios e grandes produtores. Na ocasião, estiveram presentes o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, o governador do estado, Carlos Brandão, o diretor-executivo Alderi Emídio Araújo, de governança e gestão, e Marco Bomfim, chefe-geral da Embrapa Cocais. A parceria vai aportar 2 milhões de reais para execução em quatro anos e vai permitir a presença mais robusta da Embrapa na região.

A cooperação irá incluir temas como: fortalecimento institucional da Unidade de Execução de Pesquisa (UEP), localizada na cidade de Balsas-MA e vinculada à Embrapa Cocais (São Luís-MA); transferência de conhecimentos e práticas em tecnologias agropecuárias sustentáveis; transferência de tecnologias de produção sustentável para a agricultura familiar; desenvolvimento de ferramenta para manejo da fertilidade de solos; inventário do estoque de carbono nos solos da região de Balsas; desenvolvimento de novas culturas para safrinha; e desenvolvimento de estratégias para sistemas de integração de produção agrícola e pecuária (Integração Lavoura-Pecuária).

Inicialmente serão iniciados os seguintes projetos: Qualidade do solo em sistema de produção de grãos no Cerrado do Matopiba – Qualisolo; Integração Lavoura-Pecuária – ILP; Consórcio Rotacionado para Inovação na Agricultura Familiar – CRIAF – conhecido como Roça Sustentável e que diversifica a produção e otimiza a produtividade da mandioca, arroz, milho e feijão-, os três sob a liderança da Embrapa Cocais; e Novas cultivares para a segunda safra (Safrinha), sob a liderança da Embrapa Algodão. Durante esta semana, os líderes desses quatro projetos estarão em Balsas para visitar parceiros e iniciar os trabalhos. Também serão iniciados as tratativas para participação robusta da Embrapa na Agrobalsas 2025 graças à parceria com a Fundação de Apoio ao Corredor de Expotação Norte – FAPCEN.

Na ocasião, o diretor Alderi Emídio Araújo destacou que a parceria vai fortalecer a atuação Embrapa numa região de grande potencial produtivo. Para o chefe-geral da Embrapa Cocais, Marco Bomfim, as especificidades edafoclimáticas do Matopiba – com suas altas temperaturas, solos mais arenosos e grande parte de sua área na Amazônia Legal – apresentam vários desafios para a pesquisa gerar soluções que permitam expansão da produção de forma sustentável. “No decorrer de 2023 e ainda este ano, reunimos produtores de todos os portes, associações, parceiros e mais componentes do público-alvo para discutir os desafios e oportunidades para sustentabilidade do agronegócio e da agricultura familiar e as demandas regionais e chegamos a esse primeiro conjunto de projetos de pesquisa e inovação a serem desenvolvidos em parceria com o setor produtivo, visando à solução dos principais gargalos tecnológicos ao desenvolvimento sustentável da agricultura e pecuária na região. A cada ano, haverá rediscussão e reavaliação para agregarmos outras demandas. A iniciativa também vai fortalecer a nossa Unidade de Execução de Pesquisa – UEP estrategicamente situada no Matopiba”, detalhou.

O Maranhão no Matopiba – A fronteira agrícola do Matopiba é região consolidada e em plena expansão. Atualmente tem o maior crescimento de produção de grãos do País e, segundo dados do Ministério da Agricultura e Pecuária – Mapa, deve aumentar sua produção em 37% nos próximos dez anos. O Maranhão detém mais de 30% da região do Matopiba, localizada no sul do estado.

A transformação dos solos da região – naturalmente de baixa fertilidade natural – em solos aptos para a produção mecanizada de grãos foi resultado do investimento em ciência e tecnologia. Atualmente são cultivados mais de um milhão de hectares de soja no Maranhão, além de aumentos significativos de culturas associadas ao sistema de produção de grãos, incluindo milho, feijão, sorgo, milheto e algodão. A pesquisa trabalha por mais intensificação e diversificação produtiva com inclusão social e sustentabilidade econômica e ambiental.

Boa parte da colheita segue como matéria-prima para o mercado internacional, mas a agregação de valor deverá impulsionar as cadeias de valor. O reflexo da pujança no campo é a demanda por mais serviços e produtos industrializados e a geração de empregos, renda e desenvolvimento regional.

Deixe seu comentario

Ultimas Noticias

Massey Ferguson lança websérie sobre fenação Feno e Ação aborda as diferenças e benefícios da produção de fardos de feno e de pré-secado, com
Categorias

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se para receber novidades em seu Email, fique tranquilo que não enviamos spam!

Deixe seu Email para acompanhar as novidades 

Solicitar maiores informações

Preencha as informações abaixo e entre em contato com o anúnciante!