Saneamento 4.0 e a revolução no tratamento de recursos hídricos

Saneamento 4.0 e a revolução no tratamento de recursos hídricos

Saneamento 4.0 e a revolução no tratamento de recursos hídricos

Francisco Carlos Oliver*

Os avanços obtidos através da integração de tecnologias avançadas, com a Internet das Coisas (IoT), automação, análise e coleta de dados e a Inteligência Artificial, trouxeram para o mercado soluções disruptivas, marcando uma era significativa na indústria 4.0. O saneamento, um setor essencial que enfrenta desafios significativos, também está se beneficiando dessa revolução tecnológica, conhecida como Saneamento 4.0.

Este avanço visa melhorar o tratamento e a distribuição de água, além de otimizar o consumo de energia. Através do Saneamento 4.0 é possível superar os gargalos do setor, como ineficiências operacionais, cobertura limitada e falta de precisão nas operações.

A integração dessas tecnologias são fundamentais para o Brasil, onde, segundo o Censo Demográfico de 2022 do IBGE, cerca de 49 milhões de habitantes não possuem acesso a saneamento básico adequado, e 4,8 milhões de pessoas carecem de acesso à água potável.

Além de buscar abordagens mais inteligentes, eficientes e sustentáveis na preservação de recursos hídricos, a implementação de tecnologias avançadas no segmento permite:

A automatização dos sistemas para controle e monitoramento dos processos de tratamento, distribuição e coleta de água, aumentando a eficiência operacional e reduzindo a necessidade de intervenções manuais. O uso de sensores de presença em áreas de risco para garantir a segurança dos técnicos e das operações.

Além de diagnósticos mais precisos e agilidade em manutenções e reparos, evitando o desperdício de água ocasionado por falhas técnicas; o controle na dosagem de produtos químicos nos processos de tratamento da água; e elaboração de relatórios detalhados que indicam pontos críticos, consumo anormal de água, níveis de reservatórios,entre outros..

Exemplos de sucesso já podem ser observados em locais como Cingapura, cidade-estado localizada no sudeste asiático entre a Malásia e a Indonésia, onde o uso de tecnologias avançadas permitiram que até 40% das águas residuais fossem recicladas e reutilizadas, inclusive para consumo humano.

Portanto, o Saneamento 4.0 não apenas oferece um “pacote dos sonhos” para o setor, que inclui eficiência operacional, sustentabilidade e baixo custo nas operações, mas também demonstra que, com a integração das tecnologias adequadas, é possível transformar o cenário do saneamento básico. Dessa forma, beneficiamos a qualidade de vida das pessoas e protegemos o meio ambiente.

*Francisco Carlos Oliver é engenheiro, e diretor técnico e comercial da Fluid Feeder, empresa fornecedora de equipamentos para tratamento de água e efluentes, com soluções de alta tecnologia para medição, transferência e dosagem de produtos químicos sólidos, líquidos e gasosos. www.fluidfeeder.com.br

Deixe seu comentario

Ultimas Noticias

Massey Ferguson lança websérie sobre fenação Feno e Ação aborda as diferenças e benefícios da produção de fardos de feno e de pré-secado, com
Categorias

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se para receber novidades em seu Email, fique tranquilo que não enviamos spam!

Deixe seu Email para acompanhar as novidades 

Solicitar maiores informações

Preencha as informações abaixo e entre em contato com o anúnciante!