Uso de biotecnologia na indústria sucroalcooleira pode aumentar receita do setor em U$$ 250 milhões no Brasil

Uso de biotecnologia na indústria sucroalcooleira pode aumentar receita do setor em U$$ 250 milhões no Brasil
Fábrica da Lallemand Biofuels & Distilled Spiritis (LBDS) em Piracicaba (SP)

Uso de biotecnologia na indústria sucroalcooleira pode aumentar receita do setor em U$$ 250 milhões no Brasil

A utilização de leveduras biotecnológicas para o aumento de produtividade do etanol pode incrementar as receitas das usinas de cana-de-açúcar no Brasil em até U$$ 250 milhões (R$ 1,2 bilhões). A estimativa feita pela Lallemand Biofuels & Distilled Spiritis (LBDS), maior empresa do mundo do setor de biotecnologia para o etanol, leva em consideração o potencial do mercado brasileiro.

A empresa aponta que 82% do etanol de cana-de-açucar produzido no Brasil ainda é proveniente de leveduras convencionais, 10% deriva-se de leveduras biotecnológicas e apenas 8% resultam de leveduras geneticamente modificadas de alta performance. No ano passado a indústria sucroalcooleira produziu cerca de 18 bilhões de litros de etanol.

Dados da LBDS mostram que a biotecnologia de última geração no etanol pode resultar em aumento de até 6% na produtividade do combustível nas biorefinarias de etanol de milho e cana-de-açúcar. O uso de engenharia genética no setor reduz a quantidade de áreas para plantação, diminuindo a pegada de carbono do setor.

Os números foram apresentados este mês durante o CITI ISO DATAGRO NY Sugar & Ethanol Conference. Realizado em Nova Iorque, também conhecido como Sugar Week, o encontro reuniu as maiores empresas do setor sucroalcooleiro do Brasil, da América Latina, da Índia e dos Estados Unidos.

O ponto principal das discussões deste ano foi o papel do etanol dentro das políticas de transição energética, reduzindo o consumo de combustíveis fósseis. A gerente de negócios da LBDS no Brasil, Fernanda Firmino, falou das oportunidades de novos mercados e produtos – SAF (combustível sustentável de aviação), 2GE (etanol de segunda geração) e combustíveis sintéticos.

“Até 2030, há potencial de que 20 a 30% de toda a demanda de SAF do mundo virá do etanol. Serão de 9 a 12 bilhões de litros vindo do setor do etanol. Isso significa uma redução significativa nas emissões do setor de avião, reduzindo sua dependência de combustíveis fósseis”, disse.

A executiva lembra que a produção de etanol de segunda geração não é possível sem biotecnologia, pois leveduras convencionais não fermentam material celulósico, o principal substrato para produção de etanol de segunda geração.

Segundo ela, também há oportunidades para diversificação das usinas de etanol, atuando como biorefinarias. “Por exemplo, a crescente migração de petroquímicos para químicos de base biológica, como o Bioetileno, que é produzido a partir do etanol, disse.

Um dos exemplos trazidos pela empresa durante o evento em Nova Iorque foi quanto ao aumento das receitas das usinas de etanol que usam biotecnologia. Considerando uma moagem de 2 mil toneladas de milho por dia, a empresa estima um potencial de aumento de até R$ 39 milhões por ano na lucratividade das biorrefinarias de etanol que usam biotecnologia, ante as usinas que não utilizam os insumos.

Os produtos biotecnológicos da Lallemand-LBDS são fabricados em sua instalação de produção em Piracicaba (SP) e desempenham um papel crucial no fornecimento de soluções de alto desempenho para as usinas de cana-de-açúcar e milho no Brasil, tanto para a produção de bioenergia quanto para bebidas destiladas.

A tecnologia avançada dos produtos da empresa contribui para aumentar a eficiência e reduzir os custos durante o processo de fermentação. Todos os produtos da empresa são aprovados pelas autoridades regulatórias do Brasil e dos Estados Unidos.

Sobre a Lallemand:

A Lallemand é uma empresa canadense com mais de cem anos de atuação, dedicada ao pioneirismo na criação de soluções biotecnológicas de alto desempenho. A divisão Lallemand Biofuels & Distilled Spirits lidera globalmente a aplicação de Biotecnologia de Fermentação para a produção de biocombustíveis. A empresa atua em mais de 50 países e cinco continentes como especialista em pesquisa, desenvolvimento, fabricação e comercialização de leveduras, enzimas, agentes antimic

Deixe seu comentario

Ultimas Noticias

ACCIONA Brasil celebra ação global de voluntariado com foco em sustentabilidade Os voluntários da empresa promoveram atividades lúdicas para 460 estudantes dos bairros da
Categorias

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se para receber novidades em seu Email, fique tranquilo que não enviamos spam!

Deixe seu Email para acompanhar as novidades 

Solicitar maiores informações

Preencha as informações abaixo e entre em contato com o anúnciante!