VLI destaca avanços em programa de fomento ao agro e reforça conexões na Agrotins

VLI destaca avanços em programa de fomento ao agro e reforça conexões na Agrotins

VLI destaca avanços em programa de fomento ao agro e reforça conexões na Agrotins

Ao lado da Embrapa, companhia acompanhou colheita experimental de soja do LabCerrado realizada no Tocantins

A Agrotins 2024, maior feira agrotécnica do norte do país, acontece ao longo dessa semana trazendo como tema a bioeconomia – com o objetivo de fomentar e fortalecer as cadeias produtivas que utilizam recursos naturais de forma sustentável. Alinhada com esse propósito, a VLI, companhia de soluções logísticas que opera ferrovias, portos e terminais, destaca os avanços do LabCerrado, rede de parcerias para o desenvolvimento sustentável agroterritorial promovida junto à Embrapa.

VLI destaca avanços em programa de fomento ao agro e reforça conexões na Agrotins

Na última semana, equipes do LabCerrado realizaram a colheita de soja em quatro unidades experimentais situadas nas regiões de Palmeirante e Porto Nacional. Os resultados ainda passarão por análises estatísticas e validações. A expectativa é positiva e poderá direcionar tecnologias capazes de adaptar o cultivo diante de mudanças climáticas. “Este ano vivenciamos os impactos do El Niño no campo de forma significativa no início do ano. A intensidade desse fenômeno pode impactar mais ou menos o desenvolvimento dos grãos. Isso criou uma janela de oportunidade para verificarmos, no campo, as práticas desenvolvidas pela Embrapa com foco em aumentar a resiliência da safra diante das mudanças climáticas”, aponta Edson Zacarias, gerente de projetos agrícolas da VLI.

Iniciativas baseadas em tecnologias sustentáveis e regenerativas fazem parte dos testes, tais como o uso de biológicos, remineralizadores de solo, fertilizantes naturais, plantio direto na palha, adubação e correção de solos otimizadas, manejo de pragas e doenças e a ampliação da adoção de sistemas integrados de produção baseados em lavoura, pecuária e floresta.

Em seu terceiro ano, o LabCerrado, por meio de alianças sinérgicas soma um aporte de R$ 94 milhões (2022 a 2026) em pesquisas e uma rede de parceiros (Vale, Codevasf, Sudeco, Finep, PNDU e BDMG). No Tocantins são seis Unidades Experimentais para Agroinovação, onde são desenvolvidos diversos experimentos. No estado a iniciativa conta com os produtores parceiros: Grupo Wink, Fazendas Bartira, Grupo Ogawa e Grupo Fronza. A iniciativa também é desenvolvida em Goiás, Minas Gerais e Brasília.

“O LabCerrado significa romper as fronteiras convencionais do nosso negócio, e fomentar, ao lado da Embrapa, uma pesquisa capaz de alcançar uma série de territórios e atores do setor agropecuário, fazendo desta iniciativa um verdadeiro vetor de desenvolvimento econômico, social e ambiental para o Tocantins e demais estados envolvidos”, afirma Edson Zacarias, gerente de projetos agrícolas da VLI.

Conectado com o tema da Agrotins, o estande da VLI na feira será palco de um debate sobre LabCerrado e mudanças climáticas. A agenda acontecerá no dia 15, às 15h, e contará com representantes da Emap e produtores rurais.

Conexões com o território

Além do destaque para o Labcerrado, durante a feira a VLI reforçará as conexões que envolvem dois outros temas importantes para a atuação da empresa no estado: mão de obra e fornecedores locais. “A Agrotins é uma oportunidade fantástica de mostrarmos nosso negócio, nos aproximarmos de pessoas que podem, no futuro, fazer parte do nosso time. E ainda nos conectar com potenciais fornecedores de maneira a reforçar nosso compromisso de fomento à economia tocantinense”, observa Ederson Almeida, diretor de Operações do Corredor Norte.

O Corredor Norte da VLI, do qual o Tocantins faz parte, atende clientes dos segmentos do agronegócio, mineração, celulose e combustíveis. O sistema atende importantes áreas produtoras do Brasil, em especial o Matopiba e os Estados de Mato Grosso, Pará e Goiás. Sua estrutura inclui o tramo norte da Ferrovia Norte-Sul e três terminais integradores estrategicamente posicionados nas cidades de Palmeirante e Porto Nacional, no Tocantins, e Porto Franco, no Maranhão. Os terminais realizam o transbordo das cargas dos caminhões para as ferrovias, além de oferecer capacidade de armazenagem aos produtores.

Para mais informações, acesse: Link

 

Deixe seu comentario

Ultimas Noticias

Asfalto novo ou o chamado remendo? Especialista fala das opções Rachaduras, buracos, prejuízos, pouca coisa irrita mais um motorista que estrada em má conservação.
Categorias

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se para receber novidades em seu Email, fique tranquilo que não enviamos spam!

Deixe seu Email para acompanhar as novidades 

Solicitar maiores informações

Preencha as informações abaixo e entre em contato com o anúnciante!